A integração da família na educação remota do filho

Por: Marcus Periks B. Krause

Estudante Em Frente Ao Computador Numa Sala De Estar – Nessma Elaassar

Em tempos de aulas remotas, é notório que uma grande parcela do alunado deixou de participar efetivamente das aulas, quer por condições sociais, por não dispor de recursos para manter internet em casa ou fazer aquisição de aparelhos tecnológicos, quer por falta de conhecimento e habilidades com as ferramentas e aplicativos. Existem ainda aqueles alunos que evadem-se do processo educacional, em razão na inercia ou falta de interesse dos pais, quanto ao acompanhamento dos filhos na escola. É bom lembrar que as legislações vigentes estatuem que é dever dos pais ou responsáveis, não apenas matricular o filho ou pupilo na escola, mas acompanhar o rendimento deste, sob pena de serem responsabilizados por abandono intelectual.

O analfabetismo digital foi um dos fatores que contribuiu para que muitos pais deixassem de auxiliar seus filhos nos estudos, pode-se observar tal fato pelas circunstâncias do cotidiano, onde muitas pessoas ainda precisam solicitar auxílio de terceiros para fazer uma simples operação em um caixa eletrônico, por exemplo. Da mesma forma, muitos pais encontram dificuldade em manusear as ferramentas pedagógicas e por isso deixam de auxiliar seus filhos, o que fatalmente poderá resultar em evasão escolar daquela criança.

Uma grande parcela de alunos vem sendo prejudicada por não conseguir acesso efetivo às plataformas para os estudos no formato online, mas também outra parcela tem sido ficado de fora do processo pela falta de apoio e acompanhamento familiar.

Sem o auxílio dos pais, muitas crianças deixam de participar das atividades e enquadram-se como evadidos da escola. Outros alunos podem até ter vontade em participar das aulas remotas mas esbarram na falta de apoio familiar.

Sem a participação dos pais a escola não conseguirá ir muito longe e dificilmente alcançara seus objetivos, com isso os prejuízos serão maiores ainda. A escola, mais do que nunca, precisa do apoio familiar neste momento tão difícil no qual todos passamos.

A correria do dia a dia, que está sendo retomada gradativamente, faz com que muitos pais também tenham dificuldades para acompanhar o rendimento do filho na escola, pois necessitam passar o dia inteiro no trabalho, enquanto as crianças, que ainda não retornaram às escolas, permanecem em casa ou na casa de parentes. Situações como essas já são comuns e podem ser motivos geradores da não participação de alunos nas aulas online. Mesmo distantes, em razão das suas atividades laborais, os pais podem criar mecanismos para cobrarem a participação dos filhos nos estudos online, não sendo, portanto justificativa para o não acompanhamento do filho. Existem meios e mecanismos diversos os quais os pais podem fazer uso para garantir que seu filho se mantenha participativo nas aulas remotas.

É preciso que os pais ou responsáveis estabeleçam rotinas de modo que os filhos sejam acompanhados na educação remota, deixar a critério do aluno pode fazer com que este não tenha tanto interesse em participar e estenderá seus momentos de lazer por falta de uma rotina diária de estudos. Quando há uma cooperação entre a escola e a família a possibilidade de sucesso no aprendizado será maximizada, é preciso haver estímulo por parte dos familiares e estratégias que os motivem a não desistirem de acompanhar os filhos em suas aulas remotas.

Nesse contexto, faz-se necessário que cada um cumpra seu papel de modo a garantir o direito fundamental do aluno.

Não tem sido fácil para as escolas, principalmente da rede pública, manter em funcionamentos as aulas no formato remoto, diante de tantos problemas sociais que permeiam as famílias dos alunos, bem como da falta de estrutura tecnológica das instituições de ensino e da pouca ou nenhuma qualificação aos docentes.

É hora de somar forças de modo que cada um dos atores envolvidos neste processo de garantia dos direitos das crianças e adolescentes cumpra seu papel e assim todos colham os bons frutos, mesmo em meio a tantas intempéries.

Fonte do artigo:

http://pensaraeducacao.com.br/pensaraeducacaoempauta/a-integracao-da-familia-na-educacao-remota-do-filho/

Imagem de destaque:

Nessma Elaassar

2 comentarios sobre “A integração da família na educação remota do filho Deja un comentario

  1. Certamente mais uma vez uma massa privilegiada socialmente ou pelo esforço dos pais saiu a frente nas aulas remotas o que notoriamente deixará uma grande defasagem aos menos favorecidos e nem todas as instituições também se comprometeram com um trabalho de qualidade.Bato palmas de pé aos educadores que se comprometeram com algo que não era só novo para os alunos mais para eles também.

    • Sim com certeza, um desafio para todos. Os prejuízos desse período de suspensão das aulas são certos e os dilemas para a família inúmeros. Mas da par ameniza-los, garantindo que as crianças e jovens mantenham algum vinculo com os estudos a partir das iniciativas das redes de ensino e apoio dos pais. Esperança é gratidão! dias melhores virão.

Deja un comentario

A integração da família na educação remota do filho – Sarraute Educación María Magdalena

A %d blogueros les gusta esto: