Literatura como um caminho para enfrentar as adversidades

Por: Janayna Alves Brejo

Porque é possível acender uma luz, a partir da leitura de um livro…

Dias atrás, tive a feliz oportunidade de assistir um filme e, por meio dele, chegar à conclusão de que um bom texto, seja ele escrito ou falado, pode ser capaz de nos fazer pensar sobre as nossas vidas, de nos levar a avaliar nossas atitudes, de nos propiciar o entendimento a respeito de nosso papel no mundo.

Pois é, de repente eu estava assistindo ao filme “Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata” e, a partir dessa história, consegui enxergar, ainda mais profundamente, o papel transformador de um livro e a função libertadora que a leitura pode exercer.

A narrativa se passa no ano de 1946, e mostra uma Inglaterra tentando se reerguer após o fim da Segunda Guerra Mundial, demonstrando que, em meio ao sofrimento, a criação de um clube do livro fundado, durante a guerra, serviu de alívio e, ao mesmo tempo, de um alicerce para um grupo de pessoas, pois tais encontros eram regados por diversas leituras de diferentes livros e temáticas que os encorajavam e lhes davam forças para continuar.

Essa história nos serve como pano de fundo, como uma lupa para fazermos uma analogia com o que vivemos atualmente, a luta para vencer a Covid-19 que  parece assumir o papel de uma terceira guerra mundial.

Porém, em meio ao caos, a leitura literária é capaz de desenvolver em nós a capacidade de enxergarmos o que não conseguíamos ver, pois nos mostra as entrelinhas da vida… A literatura pode nos tirar da inércia, pode nos trazer esperanças e, principalmente, nos apresentar motivos para continuar a labuta diária, seja ela qual for.

No filme, a leitura foi o alicerce para que aquelas pessoas conseguissem suportar os horrores da guerra e do pós-guerra. Hoje, a escolha de boas leituras pode nos ajudar a driblar a triste realidade que o Coronavírus nos tem apresentado, sobretudo do Brasil, onde a pandemia já ceifou mais de trezentas mil vidas, demonstrando com ela, uma desigualdade social avassaladora em que milhares de pessoas estão abaixo da linha da pobreza e passam fome.

É parte desse triste cenário, o aumento dos moradores de rua, dos desempregados, dos desabrigados, dos que sofrem as consequências de uma doença que há mais de um ano está entre nós… No entanto, talvez, ainda mais deplorável que todos esses exemplos seja, ver brasileiros perdendo a sensibilidade com o próximo ao “fazer de conta” que a Covid-19 não existe.

Entretanto, para os que apreciam a literatura, o mundo do “faz de conta” que conhecemos a partir dos clássicos literários, tem outro significado, uma vez que sempre nos leva a enxergar a realidade como ela é. Os verdadeiros “contos de fadas”, aqueles que ouvimos desde a nossa infância, apesar de serem ficção, foram escritos com base na vida real, permeados de desafios, problemas, conquistas, pessoas boas e más, e nos ajudaram a ver e a enfrentar as adversidades da vida, sem nunca ter a intenção de ocultá-las…

Por isso, a literatura pode ser um caminho para continuarmos acreditando que dias melhores estão por vir, bem como, para descobrirmos dentro de nós o propósito da “Sociedade Literária” citada aqui, que tinha a leitura como o alicerce para enfrentar as dificuldades cotidianas, sem nunca perder a esperança…

Em meio a esse turbilhão de acontecimentos e sofrimentos que geraram um quadro sombrio em nosso país, reclamar ou cruzar os braços de nada nos auxiliará a vencer essa “guerra”. Para nos ajudar a superar nossos medos e nossos traumas, escolher um livro, um gênero literário, pode ser uma das formas de nos retroalimentarmos de coisas boas, de acreditar no futuro, porém, sem nos iludir ou nos tirar do foco…

Assim, se permitirmos que boas leituras trabalhem a favor do nosso equilíbrio e nos levem a ter esperanças de que mudanças podem acontecer num piscar de olhos, num virar de páginas, buscaremos, com certeza, leituras que possam nos auxiliar nessa caminhada, para que sejamos mais leves, mais otimistas e, sobretudo, mais fraternos…

E isso não significa, de forma alguma, estar alheio ao que está acontecendo, ou muito menos perder a sensibilidade… Significa sim, substituir pensamentos negativos e críticas por sentimentos positivos e harmônicos compreendendo a necessidade de mudanças de atitude, pois aquilo que está em nosso interior reflete em nosso exterior e, consequentemente, na forma como pensamos e agimos.

Portanto, sempre levando em consideração os protocolos de proteção à vida, o intuito aqui é fazer da literatura um caminho para superarmos as tristezas e para traçarmos o futuro. Um futuro que poderá ser muito melhor que o presente, se utilizarmos os ensinamentos trazidos pela ficção para compreender os acontecimentos, para entender as pessoas, para respeitar a vida, a vida única de cada um…

Não venceremos a escuridão brigando com ela, mas sim acendendo uma luz, luz essa que pode vir a partir de uma leitura que lhe traga paz e esperança… E assim, de repente, você descobrirá que, por meio de um livro, é possível acender a luz infinita que existe dentro de cada um de nós!

Vamos lá? Busque um livro… Comece uma leitura… Leia o mundo, leia a vida…

Para saber mais:

Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata Disponível em: https://cinemacao.com/2019/07/08/sociedade-literaria-torta-de-casca-de-batata/

Fonte do artigo: 

http://pensaraeducacao.com.br/pensaraeducacaoempauta/literatura-como-um-caminho-para-enfrentar-as-adversidades

Imagem de Destaque: Alyssa Sieb/Nappy

 

 

Deja un comentario

Literatura como um caminho para enfrentar as adversidades – Sarraute Educación María Magdalena

A %d blogueros les gusta esto: