Escola e memória: qual escola queremos?

Por: Sander Palmer Batista Marques

Era uma vez um lugar. Um lugar cheio de paredes, pátios, cadeiras, carteiras, mesas, ferro, madeira, sinal, salas, telhas e telhado, um lugar de gente e de polifonia. Que lugar é esse? Poderiam ser vários lugares, mas é  a escola. A escola é um lugar presente em nossas vidas, um lugar onde construímos linhas de afeto, de adquirir conhecimento, ao mesmo tempo em que muitas vezes ela nos oferece mal estar como uma possibilidade de estar presente neste lugar de direito. Quando voltamos nossos olhares para a escola, é possível observar como foi sua construção, em qual discurso ela se baseia, o que ela quer transmitir para a sociedade e que tipo de sujeito ela quer formar.

Historicamente, a escola é lugar de disputa, disputa essa que tem modelado sua forma na busca de modelar os sujeitos que ali estão. A escola foi, é, e  pode ser uma das instituições que imprime com mais facilidade o modelo de nação a ser escolhido e por quem é escolhido. A igreja foi responsável por elaborar a formação da escola no período do Brasil colônia. No período imperial é possível observar como a família real portuguesa recria a escola à sua maneira e de acordo com os seus interesses. Já na república a escola toma outros ares, e aspira os novos pensamentos que surgem no mundo. Ou seja, a escola muda, quando o projeto de nação também muda.

Hoje as escolas têm outra forma. A presença da COVID-19 transporta a instituição escolar para dentro das nossas casas. O que já era precário, como a própria estrutura física escolar, acaba sendo reproduzida em nossas casas. O ensino remoto tem sido uma suposta solução para o problema de estar longe da escola, no entanto, o acesso às redes e as plataformas tem sido de forma precária aumentando ainda mais as desigualdades no ensino. A presença de professores e a falta de olhar nos olhos dos alunos também é um problema a ser levado em consideração, e que o ensino remoto não pode resolver, devido a ausência de equipamentos que fazem o intermédio professor/aluno. A escola é uma instituição de muita importância, ela está na memória, na história, é um lugar de possibilidades, de florescer, é um lugar de luta e de questionar sempre: Qual escola queremos?

Fonte do artigo: 

http://pensaraeducacao.com.br/pensaraeducacaoempauta/escola-e-memoria-qual-escola-queremos

Imagem de destaque: Freepik / shangarey

Categorías

Artículos

Etiquetas

,

Deja un comentario

Escola e memória: qual escola queremos? – Sarraute Educación María Magdalena

A %d blogueros les gusta esto: